Dia das Mulheres: Sororidade

Dia das Mulheres: Sororidade

No dia 8 de março é celebrado o dia da mulher em todo o mundo. Este dia é uma oportunidade para chamarmos atenção para as mudanças necessárias em direção à igualdade de direitos em relação aos homens, o que, segundo um relatório feito pelo Fórum Econômico Mundial em 2017, deve demorar mais cerca de cem anos para acontecer.

Essas reivindicações acontecem desde o século XX; em 1909, com Theresa Malkiel, mulheres já se uniam nas ruas para exigir condições mais dignas de vida, de trabalho e o direito de votar. Porém, apesar dessa união aparente, há ainda uma segregação entre os subgrupos de mulheres inseridas no “ser mulher”, ou seja, a relação de irmandade entre as mulheres é baseada em interesses pessoais ou no ponto de vista biológico, não se importando com identidade comportamental, companheirismo e altruísmo.

Para combater esse comportamento, foi criada a ideia de sororidade.

Sororidade é a união entre as mulheres, baseada na empatia, em busca de alcançar objetivos em comum. É um conceito bastante presente no feminismo moderno, e consiste do não julgamento prévio de outras mulheres entre as mulheres, o que ajuda a fortalecer estereótipos estabelecidos por uma sociedade patriarcal e machista.

O termo vem do latim sóror, que significa “irmãs” e pode ser considerado a versão feminina de fraternidade (frater – “irmão”, em latim); daí vem a ideia de irmandade tão presente nos movimentos feministas.

Segundo pesquisas feitas pelo IBGE em 2018, a população brasileira é 51% feminina, porém apenas 38% dos cargos gerenciais de empresas são ocupados por mulheres – que recebem 75% do salário dos homens na mesma função – embora o índice de escolaridade seja maior entre elas; além de terem 18h semanais adicionais não remuneradas dedicados à família e a cuidados com o lar.

No ramo da tecnologia não é diferente. Sabendo de todos esses dados, mulheres como Melinda Gates estão tentando fazer a diferença no mercado e mudar as estruturas da sociedade. A executiva da Microsoft criou a Melinda Gates Foundation para ajudar e influenciar mulheres que querem seguir carreira no ramo da tecnologia e informática.

Assim como ela, existem muitas outras mulheres que estão fazendo história nesta área. Em 2017, o site Viar360 fez uma lista de 35 mulheres influentes nas áreas de Realidade Virtual e Realidade Aumentada. Todas elas praticam a sororidade: buscam integrar outras mulheres no mercado e ajuda-las a alcançar seus objetivos, não importa o quão “loucos” eles pareçam.

Um estudo da consultoria internacional EY mostra que valorizar o talento de profissionais mulheres pode ser essencial para o sucesso de uma empresa. Companhias que possuem 30% de líderes mulheres tem, em média, margem líquida de lucro 6% maior do que outras empresas.

E aí? Agora que que já sabemos o que é “sororidade”, que tal colocarmos isso em prática para fazermos esse “boom” de “Girl Power Tecnológico” acontecer cada vez mais?!

WhatsApp chat
Close Panel