Mãe reencontra sua filha por meio da Realidade Virtual

Mãe reencontra sua filha por meio da Realidade Virtual

O programa de TV coreano “MBC Documentary Special”, da rede de televisão Munhwa Broadcasting Corporation, produziu um episódio contando a história de uma mãe que perdeu sua filha para uma doença terminal rara.

Jang Ji-Sung pôde se reencontrar com Nayeon, de apenas 7 anos, que morreu em 2016, por meio de uma simulação em Realidade Virtual. Os produtores do programa entraram em contato com os melhores desenvolvedores 3D e VR da Coreia para recriar a menina, seus trejeitos e sua voz em um mundo inteiramente virtual, para que Jang pudesse de uma maneira mais sutil se despedir da filha.

Clique na foto e veja um trecho do documentário.

 

Nesse episódio, intitulado “I Met You”, a mãe vai com a filha até sua nova casa, um jardim virtual, com flores e unicórnios, e lá conversam, brincam e se divertem, enquanto o pai e os irmãos assistem tudo com lágrimas nos olhos pela tela de um computador. A experiência acaba com Nayeon lendo uma carta que escreveu para Jang, dizendo que nunca se esquecerá dela. Em seguida, vemos a menina se transformar em uma borboleta branca e desaparece deixando saudade.

A equipe contratada para o projeto passou oito meses estudando as características da menina para recriá-la o mais semelhante possível. Para tornar os movimentos mais realistas e convincentes, foi usada a captura de movimento, gravando um modelo real e copiando digitalmente suas ações.

Após a experiência, Jang diz esperar que a Realidade Virtual possa ajudar outras famílias a lidar com a perda de entes queridos, assim como a ajudou, e acrescenta: “Espero que as pessoas possam se lembrar de Nayeon após assistirem o programa”.

As tecnologias já estão avançando para que possamos de alguma forma eternizar nossos entes queridos, assim como fizeram com Nayeon. Aplicativos utilizam da Inteligência Artificial para guardar as memórias e histórias daqueles que amamos, Etermine e HereAfter são exemplos disso.

Parece coisa de filme, mas já é realidade. O futuro é agora.