O Boticário desenvolve perfumes com a ajuda de Inteligência Artificial

O Boticário desenvolve perfumes com a ajuda de Inteligência Artificial

Na última segunda-feira (27), a maior varejista de cosméticos do Brasil, Boticário, lançou os primeiros perfumes feitos com a ajuda de Inteligência Artificial do mundo.

A criação de uma fragrância inédita é uma arte que pode demorar mais de uma década para ser finalizada. Com o intuito de otimizar os processos e auxiliar os perfumistas, a equipe da IBM Research, junto com a Symrise – uma das maiores produtoras globais de sabores e fragrâncias – criaram uma Inteligência Artificial especializada em aprender sobre fórmulas, matérias-primas, dados históricos, tendências e combinações de sucesso do mundo dos perfumes, a Philya – nome dado em homenagem à deusa do perfume.

Philya usa algoritmos novos e avançados para filtrar diversas formulas e matérias-primas que já foram utilizadas antes, identificando padrões e criando novas composições de aromas, podendo sugerir novas fórmulas e cruzando ingredientes incomuns para criar fragrâncias totalmente novas.

O sistema criado pela IBM Research e pela Symrise criou, a partir de pesquisas de mercado, duas fragrâncias para O Boticário, ambas direcionadas para o público millenials do Brasil. O resultado foi a combinação de fragrâncias frutais e florais, com especiarias, um toque amadeirado e notas de caramelo e leite condensado. Como a Inteligência Artificial funciona só como um assistente do perfumista, a fase de finalização dos perfumes passa pelo nariz do profissional para os últimos ajustes antes de ir à venda.

A intenção não é substituir o trabalho humano. Segundo Alexandre Bouza, diretor de marketing de O Boticário: “Existem menos perfumistas no mundo do que astronautas. Eles combinam um grande conhecimento sensorial com um vasto conhecimento sobre ingredientes. A utilização de inteligência artificial no processo de criação ajuda a captar e refinar a afinidade das pessoas com diferentes caminhos olfativos e isso vai ajudar os perfumistas a criar produtos que tenham poder de empatia maior”.

O intuito de combinar os processos tradicionais de produção de perfumaria com tecnologia de ponta é acelerar processos e expandir o mercado no Brasil. Além disso, o objetivo da Symrise é introduzir a Philya em sua Escola de Perfumaria na Alemanha para ajudar a treinar a nova geração de perfumistas.

Embora a tecnologia de Inteligência Artificial ainda não esteja completamente desenvolvida, acredita-se que ela será fundamental na otimização no processo de design criativo, dado aos perfumistas um auxiliar IA capaz de analisar milhares de dados históricos e combinações para prever novas combinações de sucesso.

E aí? Quais outros projetos criativos você acha que podem ter a ajuda da Inteligência Artificial?

Você quer desenvolver seu projeto? Entre em contato com a gente pelo site https://agenciacasamais.com.br/ ou pelo telefone: (11) 3467-1985.

WhatsApp chat
Close Panel