Um overview de Realidade Virtual e Aumentada em 2018
Um overview de realidade virtual e aumentada em 2018.

Um overview de Realidade Virtual e Aumentada em 2018

Este ano que passou pode ter parecido calmo quando comparado com os lançamentos que ocorreram em 2017 e 2016 nos mundos da Realidade Virtual e Aumentada, mas os últimos 12 meses foram crucias para o desenvolvimento do setor de entretenimento imersivo.

Grandes lançamentos de hardwares, melhorias de softwares, e vários outros avanços ajudaram a solidificar as Realidades Virtual e Aumentada como tecnologias viáveis e promissoras para os próximos anos.  Por isso, apesar de não ter havido nenhum lançamento extraordinário, 2018 ainda foi um ano chave para as tecnologias VR e AR.

Com um ano cheio de novas possibilidades a frente, vamos rever os melhores momentos de 2018.

 

Produção de filmes em Realidade Virtual

2018 será lembrado pela alta qualidade dos diversos filmes animados que foram lançados em VR. A produção de filmes em Realidade Virtual e em vídeos em 360 graus ainda precisam estabelecer seu lugar no mercado de entretenimento passivo, mas esse ano foi marcado pelos melhores lançamentos na área até agora.

Com um elenco vocal estrelado, que vai de John Legend e Oprah Winfrey à Constance Wu e Diego Luna, Crow: The Legend é indiscutivelmente o mais bem estruturado curta metragem em VR já lançado. Numa jornada musical pela mitologia dos ancestrais nativo-americanos, Crow guia os usuários por uma jornada colorida, da floresta ao espaço, acompanhando animais da floresta em sua busca pela sobrevivência.

Outro lançamento interessante, Spheres: Songs of Spacetime, uma experiência em VR de três partes que te guia por uma viagem de tirar o folego pelo espaço sideral. Com uma trilha sonora original composta por Kyle Dixon e Michael Stein de SURVIVE (Stranger Things), e vozes de Jessica Chastain, Millie Bobby Brown e Patti Smith, e produzido por Darren Aronosfsky, a série em Realidade Virtual estará disponível no Rockefeller Center, e Nova Iorque, a partir de 18 de janeiro.

Há também a produtora Dark Corner, que comanda a distribuição de conteúdos de terror em Realidade Virtual, e produziu os mais arrepiantes conteúdos em 360 graus disponíveis hoje nos mais diversos headsets.

 

Location-Based VR

Com o avanço dos hardwares de Realidade Virtual, opções como HTC Vive Pro e Oculus Rift, que se encaixam na categoria at-home VR, não satisfazem mais aqueles que buscam uma imersão completa na experiência. Por conta disso, instalações VR chamadas location-based ganharam mais espaço no mercado. Nela, o jogador tem uma experiência de imersão do corpo todo no jogo.

Em Novembro, a VOID lançou o Ralph Breaks VR, um tie-in do filme Ralph: Quebrando a Internet. O jogo usa uma combinação de obstáculos físicos, aromas e outros elementos que proporcionam uma experiência de Realidade Virtual única para o usuário.

 

Standalone VR

Por uma questão de custo-benefício, os headsets chamados standalone, ou seja, que não dependem de um PC para funcionar, são a aposta do mercado VR e AR. Em 2018 vimos o lançamento de três modelos de alta qualidade, cada um com seus prós e contras.

Lançado em Maio durante a conferência anual do Facebook, o Oculus Go é o modelo mais conveniente para a grande massa. Seus controles de funcionalidade são simples, o acesso ao seu conteúdo pessoal e o preço acessível ($200), isso fez do Oculus Go a opção mais atraente do mercado, além de ter mais de mil opções de apps para baixar, entre jogos, ferramentas e filmes, na Oculus Store.

Consideravelmente mais caro que o Go, o Lenovo Mirage Solo ($399) que também foi lançado no começo do ano, é o primeiro standalone a oferecer 6DoF. Para quem gosta de uma experiência bem imersiva, esse headset é a melhor opção comparado aos 3DoF do Oculus Go.

Houve também o lançamento do HTC Vive Focus, disponível originalmente na China. Estes óculos é uma combinação de VR e AR e tem um processador e resolução melhores que os dois modelos anteriores. Por conta disso, seu valor chega a cerca de $800.

Com o anúncio do lançamento do Oculus Quest 6DoF e da Oculus, esse ano de 2019 promete ser um ótimo ano para standalone VR.

 

Mobile AR

Enquanto a Realidade Virtual acha seu caminho no entretenimento, a integração da Realidade Aumentada com os smartphones modernos tem ajudado a aumentar sua popularidade. De marketing de produtos à jogos interativos, o AR tem se mostrado útil em diversas indústrias.

O provador em AR da GAP, por exemplo, permite que os consumidores tenham uma visão realista dos tamanhos e modelos das roupas da marca através de uma manequim virtual.

Apps populares, como o Snapchat, também contribuíram para a popularização da Realidade Aumentada. Seus filtros coloridos e animados parecem simples, mas envolvem uma tecnologia de trackeamento impressionante, que pode ser o futuro do AR.

 

Entrando em um novo ano…

Com o lançamento do 6DoF standalone Oculus Quest VR em algum ponto deste ano e rumores sobre um possível Microsoft HoloLens 2, o ano de 2019 parece muito promissor para as tecnologias de Realidade Virtual e Aumentada. Conforme os hardwares passam a ser cada vez mais acessíveis financeiramente, não há dúvidas que VR e AR serão forças muito reconhecidas no mercado nos próximos anos.

 

 

WhatsApp chat
Close Panel